Rua Dr. Neto de Araújo, 271 - São Paulo-SP 11 5083-6006

eSocial: Venha aprender um pouco mais sobre essa prática!

Gostou? compartilhe!

eSocial: Venha aprender um pouco mais sobre essa prática!

eSocial: Venha aprender um pouco mais sobre essa prática!

O eSocial, também conhecido como Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas, consiste em um projeto governamental. Por meio dele, as empresas conseguem consolidar as informações ligadas aos seus colaboradores e fazer um envio único e detalhado dos dados que interessam ao Governo.

Esse sistema é relativamente novo e em 2018 passou a ser obrigatório em todas as empresas. Então, se você tem dúvidas em como aderir a prática ou quer saber mais sobre, acompanhe o artigo!

No que consiste o eSocial?

Pode ser definido como um sistema integrado onde a empresa consegue inserir as informações requisitadas pelo Governo, permitindo um envio unificado. Isso, consequentemente, simplificará a visão e leitura dos dados e até mesmo a rotina da empresa.

O papel do sistema é facilitar a leitura das informações, tornando-as uniformes e otimizando o processo. Esse levantamento visa justamente o bloqueio de práticas de sonegação que tenham ligação com a contratação dos colaboradores.

Os levantamentos do eSocial são fiscalizados por organizações federais como:

  • Caixa Econômica Federal;
  • Receita Federal;
  • Previdência Social;
  • Ministério do Trabalho.

Como pode-se observar, as organizações responsáveis pela verificação dos dados estão estritamente ligadas aos direitos trabalhistas e previdenciários, isso se dá pelo fato de que o sistema unificado seja responsável por assegurar tais direitos. Por meio dele, o controle das informações será geral, evitando também a ocorrência de duplicidades com dados ou contradições de informações.

O sistema unificado para as empresas

A obrigatoriedade do sistema passou a vigorar em 2018 em dois períodos distintos, sendo eles:

  • 1º de janeiro de 2018: todas as empresas que tiveram um faturamento identificado em 2016 superior a R1 78 milhões;
  • 1º de julho de 2018: todas as empresas.

Sua prática pode ser entendida como benéfica às empresas. Mas por qual motivo? Pelo aumento da produtividade!

O sistema unificado poderá assegurar controle jurídico e diminuição de atividades (as operações serão reduzidas à apenas uma). No cenário anterior, a equipe de Recursos Humanos realizava a coleta das informações e a criação de diversos relatórios para destinatários variados, o que tornava mais difícil o processo de leitura dos dados e a integração das conclusões tiradas.

A unificação das informações, atuando também como um guia, evita que os cálculos sejam feitos de modo equivocado, o que consequentemente permitirá uma maior organização interna para a empresa. Assim, o tempo poderá ser direcionado para atividades que visem uma entrega maior, o crescimento e o desenvolvimento.

Os empregados também saem ganhando

O registro e fácil acesso das informações trabalhistas serão agregadores na facilidade de requisição de direitos por parte do empregado. Informações adicionais como riscos e exposição também poderão ser pontuadas no sistema e essa transparência poderá ser uma grande aliada do empregado para não ser prejudicado pelo desempenho de suas funções.

E como a empresa pode começar com eSocial?

Para dar início a prática do sistema unificado, é necessário que a empresa acesse o endereço www.esocial.gov.br e realize o envio das informações solicitadas. Antes mesmo de executar essa atividades, é bom ver como o sistema funciona, as informações que serão requisitadas e dessa forma, dar início ao processo.

Na primeira etapa, o sistema fará a requisição de uma certificação digital (documento que emitirá a permissão para envio do relatório). Na prática, essa certificação consiste na assinatura digital da empresa frente às informações que são requisitadas para a construção do cadastro no sistema unificado. Esse arquivo vira um documento eletrônico que evidencia a ciência da empresa frente às suas obrigações no modelo do sistema.

Esse certificado também permitirá a integração da empresa no novo sistema e sem ele o empregador não conseguirá acesso para a sequência das obrigatoriedades. Qualquer tipo de omissão, irregularidades, informações não verídicas ou vencimento de prazos deixará a empresa sujeita à penalidades legais.

Como o ERP na nuvem pode ajudar nesse cenário?

O ERP na nuvem é um sistema de gestão empresarial que visa justamente a organização das informações e o levantamento de relatórios de forma rápida e integrada. Com ele, o empregador consegue ter uma visão geral quanto ao fluxo de trabalho, tempo para execução de atividades, controle de produtividade e diversos outros fatores que atuam como facilitadores na rotina de uma empresa.

Visto que entende-se o grau de importância de oferecer informações atualizadas, verídicas e consistentes para o eSocial, é extremamente benéfico para a empresa contar com um sistema de gestão empresarial. Ele será um integrante dentro de um cenário onde o objetivo é garantir a maior produtividade e fazer com que o negócio dê certo!

Para o sistema unificado, o ERP na nuvem permitirá a criação de relatórios internos e a consolidação de todas as informações que posteriormente terão que ser repassadas. Isso garante eficiência e colabora para que a empresa não envie dados incoerentes que poderão levar a punições.

Outras facilidades do ERP na nuvem

Esse sistema de gestão é multibenefícios. Entre suas facilidades, podemos citar:

  • Preço reduzido: na maioria das vezes, não é preciso investir em licença ou infraestrutura com o ERP na nuvem e isso atua diretamente na redução de seu custo. Seu uso gera custos ligados a manutenção e contratação para operação, inibindo gastos com despesas de capital;
  • Segurança de informações;
  • Atualizações periódicas e contínuas;
  • Acesso remoto e diverso: dessa forma, pode-se acessar o sistema à distância e por meio de diversos aparelhos como tablets, smartphones, notebooks, etc;
  • Rapidez superior na etapa de implementação;
  • Acesso em tempo real;
  • Backups gerenciados.

O investimento no ERP na nuvem é um grande facilitador no entendimento de falhas, o que permite uma ação rápida frente aos problemas. As vantagens logo surgirão com o aumento das entregas, redução de custos com processos desnecessários, disponibilidade de tempo para focar em inovações e a realidade de uma gestão ainda mais eficaz.

Vale relembrar: ainda focando nas informações obrigatórias do eSocial, com o ERP na nuvem, todos os dados relacionadas aos empregados poderão ser inseridos e atualizados periodicamente, de acordo com o padrão solicitado no sistema. Isso evita tempo de adequação de documentos, a consolidação das informações e a regularização adequada da empresa junto aos requerimentos governamentais.

Se quiser saber mais sobre como um sistema de gestão integrado pode auxiliar na emissão do eSocial, fale conosco!



Gostou? compartilhe!