Rua Dr. Neto de Araújo, 271 - São Paulo-SP 11 5083-6006

A funcionalidade do Bloco K

Gostou? compartilhe!

A funcionalidade do Bloco K

A funcionalidade do Bloco K

Com o surgimento do meio digital, muita coisa mudou no cotidiano das pessoas e empresas. Desta forma, até mesmo os processos de regularização e envio de informações aos órgãos governamentais foram afetados. Um exemplo disso é o surgimento do SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) que tem o objetivo de otimizar o envio das informações de escrituração por meio de um sistema integrado. Nesse cenário, surgiu também o Bloco K, um documento que é caracterizado como o Livro de Controle de Produção e Estoque.

Em linhas gerais, ele tem o papel de fazer o registro e controle de produção de uma empresa, consolidando informações relacionadas a produção, insumos e estoque final que já tenha sido escriturado (que conte com descontos de entradas e saídas). E é exatamente sobre o Bloco K, suas funcionalidades e especificidades que falaremos neste artigo. Acompanhe!

Como funciona o Bloco K?

O Bloco K é um documento EFD (Escrituração Fiscal Digital) precisa ser enviado mensalmente, sendo de responsabilidade da empresa contribuinte. O arquivo precisará ser enviado para a Receita Federal, que executará todo o processo de fiscalização dos dados enviados.

Vale ressaltar que o objetivo dessas mudanças é justamente otimizar as etapas, evitando divergências que possam vir a acontecer, diminuindo assim a possibilidade de existir problemas com a Receita e assuntos semelhantes. O arquivo permite que os dados fiquem integrados e facilitem, tanto para o emissor quanto para a organização do órgão responsável pela fiscalização.

Importante ressaltar: o não envio das informações ou o envio de dados incorretos poderão ocasionar multas ou a suspensão temporária da liberação para emissão de notas fiscais eletrônicas.

Sobre o documento…

O Bloco K, como explicamos, é o documento que regulariza toda a produção de uma empresa frente à Receita Federal. Mas para que isso aconteça é necessário fazer o envio do documento com algumas informações bem discriminadas, tais como:

  • A quantidade de produção realizada;
  • A quantidade de itens que foram consumidos;
  • A quantidade de produção feita por terceiros;
  • A quantidade de itens consumidos pela produção de terceiros;
  • As movimentações internas relacionadas ao estoque e que não estão ligadas diretamente para a produção;
  • Os itens de propriedade da empresa e que estão em seu poder;
  • Os itens de propriedade da empresa e que estão em poder de terceiros;
  • Os itens em propriedade de terceiros e que estão em poder da empresa;
  • A listagem de materiais dos produtos em totalidade que são fabricados em produção própria e em terceiros.

Deu para perceber que com o uso desse documento, não tem como não deixar todo o setor de logística e os demais aliados à produção bem organizados e alinhados, não é? Mas é de se imaginar que fazer essa organização minuciosa não seja tão simples, afinal, é necessário garantir que nenhum número passará, que nada ficará para trás.

Para isso, pode ser fundamental contar com a ajuda de alguma ferramenta de gerenciamento. E temos uma boa notícia: existem ferramentas perfeitas para isso!

Já ouviu falar em ERP?

Bom, e se o assunto é ferramenta de gerenciamento, o ERP não pode ficar de fora. O ERP (Enterprise Resource Planning), em português significa “Sistema Integrado de Gestão Empresarial”, é um software capaz de melhorar a gestão das empresas, automatizando os processos e integrando as atividades de Vendas, Finanças,

Contabilidade, Fiscal, Estoque, Compras, Recursos Humanos, Produção e Logística.

Ou seja, tem tudo a ver com o Bloco K e as funções que ele deve acompanhar, não é mesmo?

Pois bem, contar com o ERP para fazer esse gerenciamento visa facilitar o processo, otimizar o tempo, automatizar ações e ainda economizar recursos que podem ser redistribuídos para outros recursos da sua empresa que necessitem de mais atenção.

O que faz o ERP?

Bom, como vimos, o ERP é um software capaz de gerenciar áreas estratégicas e operacionais. Para isso, ele trabalha com:

  • Emitir Nota Fiscal Eletrônica;
  • Controlar estoque;
  • Controlar integração com fornecedores;
  • Gerenciar ações e ciclo de produção;
  • Cadastrar clientes e vendedores;
  • Realizar a Integração com bancos;
  • Produção de orçamentos;
  • Controlar o fluxo de caixa do negócio;
  • Gerar boletos;
  • Entre diversas outras.

Ou seja, o ERP pode e deve ser completamente vinculado ao Bloco K se o seu intuito for automatizar processo, elevar a qualidade de informações do seu negócio, estabelecer análises periódicas e garantir o envio de dados reais para o governo. Mas para facilitar ainda mais o processo, hoje já é possível contar com softwares que podem ser acessados de qualquer lugar, mantendo segurança e riqueza de informações. É o caso do ERP na nuvem.

Ainda não sabe o que é isso? Então fique despreocupado, pois iremos te explicar tudo que precisa saber logo no próximo tópico! Confira!

O ERP na nuvem

Como estávamos falando, o ERP na nuvem já tem uma grande vantagem: é totalmente flexível e adaptável à necessidade do cliente. Além disso, o preço reduzido também se encontra na lista de uma das maiores vantagens do ERP em nuvem, além da segurança de dados. Sem contar que oferece ao cliente a chance de acessar informações de qualquer lugar, em tempo real, não limitando ações à espaços físicos.

Sendo assim, alinhando-se ao Bloco K, o ERP em nuvem pode se adaptar à sua necessidade, alinhando-se aos dados mensais que são necessários para o envio do relatório para a Receita Federal. Isso traz facilidade e garante a assertividade das informações, o que é de total importância, afinal, como vimos no começo do artigo, caso algum dado esteja errado, a empresa está sujeita a pagar multas ou até mesmo ter suspensões.

Mas para garantir que não terá dores de cabeça, busque por ferramentas de confiança e conhecidas no mercado. Dessa forma, caso o assunto seja novo para você, poderá contar com especialistas para lidar com o assunto da melhor maneira possível. Sem contar que ter segurança é fundamental quando o assunto diz respeito à saúde do seu negócio, não é?

Bom, se quiser saber mais sobre como um ERP na nuvem pode ajudar nos processos envoltos no Bloco K, fale conosco. Busque por ferramentas e empresas que ofereçam um serviço de qualidade e prepare-se para garantir o sucesso do seu negócio!



Gostou? compartilhe!